Contato Anuncie Loja Baixar Distribuidoras Selos Artistas Clipping Assessoria de Imprensa Quem Somos Serviços Agência Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com
Resenha: álbum solo de Edu Falaschi é avaliado pelo redator Vinicius Albini

Resenha de CD originalmente publicada pelo blog O Subsolo

Por Vinicius Albini

Confesso que sou grande admirador e fã de EDU FALASCHI. É um músico que admiro muito por sua história e também por seu talento e feelling que demonstra em suas músicas. Comemorando 25 anos de carreira, o ex-vocalista do Angra e atual líder do Almah gravou um disco inteiramente acústico, dando novas interpretações de canções que marcaram os melhores anos do cantor. Desde que a faixa “Nova Era” foi divulgada com videoclipe oficial eu fiquei bastante ansioso para ouvir o disco inteiro, e hoje minha espera acabou para começar uma nova: a de ter o CD em minhas mãos.

É uma peça linda, de ponta a ponta. Todo o rearranjamento das canções foram feitas na medida certa, tornando músicas rápidas como “Arising Thunder” e “Angels and Demons” em faixas carregadas de uma beleza tocante. A segunda inclusive chega a emocionar, deixar os olhos marejados diante de um solo arrepiante de piano.

Aliás, emoção pode ser a palavra que melhor define esse trabalho. Cada nota executada pelas cordas entram na alma, enquanto a voz de Edu surge tranquila, calma e ao mesmo tempo, forte, deixando o ouvinte satisfeito com o resultado, principalmente por ele poder ouvir a voz de Edu em uma fase de re-ascensão. Obviamente, as melodias mais suaves das canções não exigem um esforço muito grande por parte da voz de Edu, no entanto, ele a usa com afinação e timbre que combinam perfeitamente com as canções, ainda mais que foram executadas nos tons originais. Para termos melhor noção da potencia vocal de Edu, o ideal é esperarmos pelo novo álbum do Almah que virá no segundo semestre.

Além das cordas, instrumentos de sopro roubam a cena em diversos momentos. Mostram que a criatividade do vocalista estava aflorada ao “recompor” as faixas do disco, sabendo o que iria soar melhor para cada releitura. O trabalho e harmonia entre violões, piano e violinos é magnífico, tornando as músicas trilhas perfeitas para sua vida.

O único ponto negativo foi a ausência de mais músicas de outras fases do Edu. Temos 8 faixas de Angra, e apenas uma do Almah. Pelo o que soube, no exterior o disco contará com três faixas apenas instrumentais, uma será “Nova Era” e as outras serão “Warm Wind” e “Wings of Revolution” do Almah. As duas já foram apresentadas de forma acústica e confesso que esperava por elas na track list principal, e me desapontou um pouco saber que não conterão vocal. Músicas do Symbols e Mitrium também fizeram falta no álbum, já que fazem parte do começo da carreira de Edu. No entanto, o disco fica como uma homenagem aos anos dourados desses 25 como artista.

Cada segundo é surpreendente ao ouvir “Moonlight”EDU FALASCHI comemora em grande estilo sua carreira nesse álbum, e sem dúvidas deve estar muito satisfeito com o resultado obtido. Aos fãs, é um belíssimo presente, principalmente para aqueles que estiverem com o vocalista em sua ascensão, queda e retorno. Edu prova que é um músico profissional e de alto nível, e digno do respeito de todos.