Contato Anuncie Loja Baixar Distribuidoras Selos Artistas Clipping Assessoria de Imprensa Quem Somos Serviços Agência Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com
Resenha: mais uma nota máxima para o novo álbum da banda Almah no Metal na Lata

Resenha de CD originalmente publicada pelo portal Metal na Lata

Por Luiz Gustavo Santos

Nota: 10.0/10.0

Aproximadamente 3 anos após o lançamento de “Unfold” (2013), o ALMAH presenteia seus fãs com “E.V.O”, lançado mundialmente hoje (23/09). E quando digo “presenteia” não é exagero: esse álbum vai superar suas melhores expectativas! Após várias boas ouvidas durante essa semana, posso dizer sem medo de errar que esse já é o meu álbum favorito da banda.

Apostando numa sonoridade mais suave, mais leve (no bom sentido) e mais limpa, o ALMAH parece ter encontrado sua melhor forma. Vejam, não estou dizendo que falta peso… digo apenas que não há aquela atmosfera de maior densidade, com uma certa tensão agressiva, que era comum em outros trabalhos da banda (no meu sentir, claro). Seguindo essa linha, Edu Falaschi concentra seu talento nos vocais mais limpos, sem abusar da agressividade e dos vocais rasgados de tempos atrás. Aproxima-se, portanto, de seus primeiros anos de Angra.

Com tais características, o trabalho ganha uma fluidez impressionante. Não fica truncado ou cansativo, muito pelo contrário. A energia é notavelmente positiva, mostrando uma banda alegre e “pra cima”, o que, convenhamos, é fundamental nesse estilo. Música após música, você se vê navegando calmamente pelo álbum e, quando chega o final, fica aquela sensação de “nossa, já!!??”. É o convite para apertar o play novamente.

O álbum começa com a excelente “Age of Aquarius”, música com a qual a banda vem trabalhando. Após uma intro suave, com sons da natureza e texturas orquestradas ao fundo, a música evolui para um Power Metal clássico, com ótimos riffs e um refrão marcante. Um hit instantâneo. Merecem destaque ainda a linda balada “The Brotherhood”, “Infatuated”, a progressiva “Pleased to Meet You” e a melódica “Indigo”. Num álbum tão bom e com melodias tão marcantes, é bem provável que você escolha suas próprias favoritas. Sem mais falatório, deixo que vocês cliquem no link abaixo e se apaixonem por um dos melhores lançamentos do ano!