Contato Anuncie Loja Baixar Distribuidoras Selos Artistas Clipping Assessoria de Imprensa Quem Somos Serviços Agência Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com
Resenha: primeiro álbum do Macabre Agony em destaque no portal O Subsolo

Resenha de CD originalmente publicada pelo portal O Subsolo

Por Jordana Aguiar

A MACABRE AGONY é uma banda de Metal formada na década de 90 em São Paulo. O disco “Dry Mankind”, lançado originalmente em 2001, ganhou um relançamento em 2017. Esse trabalho conta com 7 músicas, totalizando 26 minutos de puro som pesado.

A primeira música, intitulada “Apocalypse Now”, inicia de maneira misteriosa e realmente macabra. Seria uma espécie de oração? Um canto em árabe? Não posso afirmar. O primeiro som reconhecível que se pode escutar nessa faixa é a bateria que já chega de maneira destruidora, em seguida acompanhada pelo baixo e guitarra muito bem trabalhados. Desde o início da primeira música já é possível perceber que estamos prestes a nos deparar com uma sequência de músicas pesadas, principalmente quando começa a soar os vocais. São guturais e rasgados muito bem distribuídos, trazendo uma sonoridade muito agradável aos admiradores de Metal Extremo. Até aqui se passaram somente 2 minutos e meio de música, e é nessa parte que a banda nos presenteia com um ritmo acelerado, daqueles que fazem a galera fechar um mosh pit sem pensar duas vezes.

A segunda faixa, chamada “Sarcastic Marvel”, vem desacelerando o ritmo, trazendo certa melancolia. Novamente vozes bizarras e incompreensíveis tomam conta da música. Em determinado momento a bateria vem ajudando a música a se tornar mais acelerada, mas nem assim ela perde o tom melancólico. Em seguida temos música intitulada com o nome da banda “Macabre Agony”. Pode bater cabeça à vontade! A quarta faixa “Essential” só reafirma o quanto esses vocais são excelentes. A banda também conta com ótimos músicos.

A quinta composição chama-se “Aborting The Beast” e nela percebe-se uma pegada bem diferente. Essa música tem algumas “paradas”. Com determinada frequência a música acalma-se e o vocal é apenas um cochicho, então, logo em seguida guitarra, baixo e bateria atacam com toda força e o vocal volta ao rasgado. O penúltimo som é “Vox Clamantis” evidenciando o baixo no início da música. É uma faixa bem marcante, provavelmente uma das melhores músicas do disco. Todos os elementos contidos nela formaram um conjunto excelente. E para encerrar dignamente esse sequência de admiráveis músicas, a MACABRE AGONY nos apresenta “Evil’s Poetic”. Em certas partes da música o vocal vem com um tom de sofrimento ou sufocamento, fazendo jus ao nome da banda.

A identidade da MACABRE AGONY alterna entre os gêneros Death, Black e Doom Metal. Os componente realizam um fantástico trabalho na sonoridade das músicas. Os vocais são indiscutivelmente bons, tanto em gutural quanto rasgado. Em resumo, “Dry Mankind” é um álbum que merece ser ouvido pelos admiradores de Metal Extremo, é difícil não se agradar pelo som pesado e cru dessa banda.