Contato Anuncie Loja Baixar Distribuidoras Selos Artistas Clipping Assessoria de Imprensa Quem Somos Serviços Agência Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com
Resenha: novo trabalho do Misconducters é destacado no site brasileiro Rock On Stage

Resenha de CD originalmente publicada pelo site Rock On Stage

Por Fernando Júnior

Nota: 09.0/10.0

Por volta de quase um ano após o lançamento de seu terceiro álbum de estúdio, o “Boundless”, eis que o Power Trio MISCONDUCTERS formado por Den na guitarra e vocais, Vitão na bateria e Brisa no baixo ataca novamente com seu mais recente trabalho, o CD “Circadian”, que é composto de oito faixas e foi gravado no Lumen Studios em São Paulo/SP por Caio Schmid e Armani Albarno com processos de mixagem e masterização de Ricardo Schmid. A capa, que mostra um desenho bastante abstrato e um tanto que psicodélico, é do líder da banda Den.

A mistura de Punk com Metal Tradicional, Stoner e Hardcore e até estilos mais distantes como um Rock Progressivo é percebida neste novo lançamento do MISCONDUCTERS, que deixa claro que a banda está se firmando mesmo no cenário ao lançar três álbuns em um período quatro anos, uma marca importante se tratando de Brasil.

Com uma pesada e quase tribal evolução na bateria o Heavy Metal do MISCONDUCTERS começa com “Invasion”, que captura através de seus vocais agressivos e seu vigoroso ritmo instrumental, as modificações de andamento que o Power Trio realiza tornando a faixa bastante interessante. Exalando muita eletricidade a cada nota, a intensa “Reset” entra bastante rápida e contagia facilmente por seu estilo pulsante mais Rock’n’Roll só que cru e vocalizado com fúria por Den, que inclusive crava também longos solos de guitarra em uma pegada mais voltada ao Stoner. Na terceira vemos a bateria entrar discretamente e prosseguir desta maneira até que os solos de guitarra apareceram fazendo “Wasting Away” receber um andamento mais envolvente e um tanto largado nos vocais, que estão mais dispersos/agressivos.

Para “Misconducter”, eles produziram uma linhagem instrumental voltada para um Heavy Metal cativante, que atravessa influências brasileiras e vai eclodir depois disso em um colérico Stoner, que demonstra em seus vocais uma clara influência de Punk, e o que chama a atenção é que eles misturam tudo isso sem deixar a música ruim, pelo contrário, a deixam intrigante.

Depois temos a faixa título do CD, a “Circadian”, que chega em meio tilintar de espadas, explosões, várias vozes e outros ruídos, que trazem os primeiros acordes de guitarra e seguem por um ritmo acelerado e um tanto encorpado, onde seus versos exibem uma dose maior de ‘brabeza’, além de muitos riffs esbanjando distorção e até algumas linhas e vocais melódicos… uma ‘doidera’ muito bem preparada. O mais curioso nesta quinta música do disco é quando seu andamento se acalma, mas o grau de seus vocais e eles retomam aquele estilo inicial cheio de voltagem.

Na sequencia temos a “New Line”, que mais uma vez traz o jeito frenético do Power Trio paulistano te convidando a ‘bater a cabeça’ em sua audição por conta da adrenalina que é passada e não sei porque senti um estilo um tanto que Megadeth em sua parte instrumental, mas, seus vocais são consideravelmente nervosos.

E o MISCONDUCTERS não diminui a vibração em um instante sequer em “Circadian”… conforme percebe-se ao ouvir “Power Driven”, que é possuidora de um ritmo incansável, especialmente, no que eles fazem em suas partes instrumentais, onde aliás recomendo reparar atentamente nos solos de guitarra. No encerramento temos a breve, entretanto, bastante acelerada “Bad Slave”, que mantém o formato incontrolável deste álbum, porém, mais pesado e encolerizado de forma a deixar o ouvinte ‘encucado’ em sua audição, pois, prestando mais atenção você sente aquele Rock’n’Roll pesadão se junta a um Punk e lá no fundo em alguns trechos uns toques quase que Country, mas, montaram isso sem prejudicar a canção, o que vale um ponto para o MISCONDUCTERS.

Para diluir este “Circadian” recomendo você estar ‘bufando’ após enfrentar os problemas cotidianos, pois, toda a linhagem desenfreada desta ‘salada musical’ executada com habilidade pelo Power Trio MISCONDUCTERS não só vai te pegar como também servirá para limpar aquela sua fúria, por mais incrível que te pareça. E o mais novo ‘rebento’ da família de discos do MISCONDUCTERS já está praticamente pronto para ser lançado e seu nome será “Pariah”, mas, isto é uma outra história.