Contato Anuncie Loja Baixar Distribuidoras Selos Artistas Clipping Assessoria de Imprensa Quem Somos Serviços Agência Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com
Resenha: debut álbum da banda The Cross é avaliado pelo redator carioca Pedro Mello

Resenha de CD originalmente publicada pelo site Rio Metal Press

Por Pedro Mello

Nota: 09.0/10.0

Vinda de Salvador, os baianos da THE CROSS, uma das pioneiras do Doom Metal nacional, acaba de lançar seu primeiro álbum.

O quinteto formado por Eduardo Slayer (vocais), Felipe Sá (guitarra), Paulo Monteiro (guitarra), Mario Baqueiro (baixo) e Louis (bateria) trazem oito músicas arrastadas, pesadas e com muita personalidade em pouco mais de uma hora de som.

‘Cold Is The Night Beyond Death’ abre o álbum e faz o papel de uma intro, Eduardo Slayer praticamente recita a letra em um tom perturbador que remete o ouvinte a quase insanidade. ‘The Final Nail In The Coffin’, mantém o estilo arrastado, se apoiando em ótimas melodias por parte das guitarras.

O clima soturno e obscuro continuam em ‘The Skull & The Cross’, ‘The Last Prayer’, ‘Garden Of Silence’ e ‘House Of Suffering’. Trilhas sonoras perfeitas para qualquer filme de terror que você possa imaginar. ‘Poe’s Silence’, tem o nome nitidamente inspirado no escritor, Edgar Allan Poe. A música faz jus a memória do norte-americano, famoso por seus perturbadores contos de terror.

‘Resquiat In Pace’, é um oásis de água ácida em meio a um pântano escuro, trazendo um som obscuro mesclado a excepcionais linhas de guitarra. Em um cenário tão negro e profundo é quase um paradoxo dizer que esta faixa é apaixonante.

Claro, a banda tem influências no início do Black Sabbath e o ícone maior do estilo, Candlemass, ma nem por isso soa como cópia. Excelente escolha de Eduardo Slayer de reativar o THE CROSS após um hiato de quase 20 anos, desde a primeira Demo, “The Fall” e seu retorno acertado em 2015 com o single “Flames Through Priests”, culminando neste petardo auto intitulado.