Contato Anuncie Loja Baixar Distribuidoras Selos Artistas Clipping Assessoria de Imprensa Quem Somos Serviços Agência Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com
Resenha: novo álbum do Amenize em destaque no site brasileiro Rock On Stage

Resenha de CD originalmente publicada pelo site Rock On Stage

Por Fernando Júnior

Nota: 09.0/10.0

Os alicerces do AMENIZE começaram a ser criados quando o vocalista Bruno Corey convidou o guitarrista Kaue Vaz, para iniciarem uma nova banda para expressarem suas ideias de Heavy Metal e, ao lado do baterista Nicola Tommasini, foi dando o pontapé inicial dos trabalhos do grupo em 2010. Ainda neste mesmo ano, a trupe disponibilizou o seu primeiro álbum intitulado “When Angels Turn Into Demons”, deixando claro o estilo adotado pela banda, o Metalcore.

Entretanto, após o lançamento deste primeiro CD, eles priorizaram seus projetos paralelos e só voltaram a se dedicar ao AMENIZE em 2014 já contando com Danilo Cruz na bateria ao lado do citado Bruno Corey nos vocais, Brain na guitarra e Ricardo “The Stranger” Strani (ex-Temblor), que foi anunciado após a gravação do segundo disco, cujo título é “Black Sky”, que foi gravado, mixado e masterizado por Adair Daufembach no Daufembach Studios, sendo que o produtor inclusive cuidou de todas as linhas de baixo para o AMENIZE.

A capa de João Duarte da J. Duarte Design exibe um mundo pós apocalíptico, desolador e em péssimas condições para a existência da vida, pois sua história acontece em um planeta alternativo, dominado por uma instituição conhecida como Black Sky e seu personagem principal é uma pessoa comum, que não suporta viver sob o controle de uma força invisível e usa a alienação como sua arma mais poderosa (uma analogia com o nosso futuro? ouça e descubra).

Com falas desconexas e o ‘tic-tac’ frequente de um relógio, a instrumental “An Endless Dystopia” abre “Black Sky” com seus dedilhados junto aos toques de teclados, feitos por Daniel Malferrari e isso se liga em “Unlocked”, faixa que sentimos o AMENIZE mostrar seu encorpado Metalcore/Modern Metal através de variações empolgantes, sejam nos vocais, que vão do limpo ao agressivo ou também no ritmo proposto pelo baixo, pela bateria e principalmente pela guitarra.

Em “Rivals”, o trio desfere uma complexa canção que percorre camadas cheias de contratempos na bateria, que destacam uma ótima atuação do vocalista Bruno Corey, que envolve o ouvinte ante ao andamento disponibilizado pelo AMENIZE. De um começo mais voltado para o Metal e que segue por linhas cadenciadas e emocionantes, especialmente na forma que seus versos são cantados e novamente seguindo por urros nos vocais, “Leeches” marca a quarta do CD e deixa claro que a intensidade em suas canções e as alterações significativas são uma verdadeira marca dos paulistanos.

Exalando ares mais sombrios, a segunda instrumental de “Black Sky” chama-se “Blood River” e nos mostra dedilhados mais melancólicos executados por Daniel Malferrari, que servem de introdução para que a aniquilação presente na canção título “Black Sky” estoure em um misto de fúria extrema em seus vocais urrados com parte limpas, que transmitem aquela ideia de dualidade, onde recomendo reparar também nas linhas habilidosas no baixo do produtor Adair Daufembach e também do baterista Danilo Cruz, que imprimem um peso único para a música.

Para a seguinte, cujo nome é “T-Rex”, o estilo implacável e fortificado continua a pleno vapor, mas, é contrastado assim que Bruno Corey começa a cantar de forma limpa, entretanto, logo no refrão solta seus vocais mais agressivos em mais outra complexa canção do álbum, que modifica-se em seu decorrer e nos mostra um poderoso solo de guitarra, que une-se ao rimo mais caótico e revoltado produzido pelos demais músicos.

No término de “Black Sky”, o AMENIZE manteve o andamento diversificado de seus instrumentos ante aos vocais urrados em sua maior parte e outros mais limpos, que serviram para demonstrar muita angústia e conflito em sua letra, onde sentimos um claro confronto em busca por respostas, sendo este clima o ambientador de “The Creator”, que conta com toques dilacerantes no baixo tocado por Adair Daufembach, que são devidamente acompanhados pelo baterista Danilo Cruz.

Para quem é um apreciador de nomes como Slipknot, Lamb Of God e outros, que enfatizem a mescla de vocais urrados e limpos em meio a muita habilidade com evoluções impactantes na parte instrumental, este conceitual “Black Sky” dos paraenses do AMENIZE (que agora moram na capital paulista) é um disco a ser conhecido mais detalhadamente.