Contato Anuncie Loja Baixar Distribuidoras Selos Artistas Clipping Assessoria de Imprensa Quem Somos Serviços Agência Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com
Resenha: novo álbum do Misconducters é avaliado pelo redator Leandro Vianna

Resenha de CD originalmente publicada pelo blog A Música Continua a Mesma

Por Leandro Vianna

Nota: 08.0/10.0

Para quem ainda não conhece o MISCONDUCTERS, a banda foi originalmente formada em Londres no ano de 2008, pelas mãos de Den, vocalista e guitarrista, que lá residia na época. De lá para cá, já foram lançados 4 EP’s, “You’re Asking For It…” (08), “Braindead” (09), “New Blood” (10), “Reset” (12) e, antes de “Circadian”, 3 Cd’,s, “It’s All Yours” (10), “Hypnopaedia” (14) e “Boundless” (15).

Em seu 4º álbum de estúdio, continuam mantendo aquela mesma pegada característica de seus trabalhos anteriores, ou seja, uma mescla bem interessante de Metal Tradicional, Punk e Hardcore, que em alguns momentos faz com que remetam vagamente ao Motörhead, pelo fato de sua música ser bem direta. Ainda assim, sua sonoridade possui uma cara muito própria e característica. Chama a atenção o fato de, nesse intervalo de 1 ano entre “Boundless” e “Circadian”, seu som ter amadurecido mais um pouco, já que as faixas aqui soam um pouco mais variadas e mais bem trabalhadas, mas de forma alguma a banda perdeu sua essência. A mudança não foi drástica, apenas ocorreram pequenos ajustes aqui e ali que elevaram um pouco mais a qualidade do material.

Os vocais de Den pendem para um lado mais Hardcore, dando uma dose considerável de agressividade à música do MISCONDUCTERS. A parte instrumental, como dito, está mais bem trabalhada e claro, carregada de energia e agressividade, com todos mostrando boa técnica. “Invasion”, faixa que abre o trabalho, mostra algumas reminiscências de Black Sabbath nas guitarras, além de soar bem forte. “Reset” mescla muito bem Hard e Punk e tem boa pegada. Já a faixa título se mostra bem variada, enérgica, sendo na minha opinião a melhor de todo o trabalho. Outra que vale destacar é “Bad Slave”, a mais curta de todo álbum e que vai direto ao ponto, sem enrolação.

Gravado no Lumen Studio (São Paulo), por Caio Schmid e Armani Abarno, “Circadian” teve produção da própria banda, com masterização e mixagem realizadas por Caio. O resultado final é muito positivo, já que a música soa clara, com todos os instrumentos audíveis, mas sem perder a crueza necessária para a proposta do MISCONDUCTERS. Já a capa e o layout foram obra do próprio Den, com bons resultados. Um álbum altamente indicado para os que apreciam música pesada, enérgica, agressiva e direta, mas que não deixa de ser bem trabalhada e ter boa técnica.