Contato Anuncie Loja Baixar Distribuidoras Selos Artistas Clipping Assessoria de Imprensa Quem Somos Serviços Agência Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com
Resenha: primeiro álbum de Eduardo Lira é destaque absoluto no site Brasil Metal História

Resenha de CD originalmente publicada pelo portal Brasil Metal História

Por Leandro Coppi

O mercado fonográfico brasileiro tem crescido consideravelmente no que diz respeito a álbuns instrumentais, em específico de guitarristas. E isso é muito bom, principalmente pra muitos de nós que acompanhamos de perto a trágica segunda metade dos anos 90 em que os solos de guitarra foram deixados de lado, quase esquecidos, já que com o advento da música alternativa, qualquer resquício de técnica nas composições era tratado com deboche por boa parte do público e da mídia mainstream.

O carioca EDUARDO LIRA chega para fortalecer ainda mais o cenário nacional atual que tem nos oferecido grandes obras ‘guitarrísticas’. Nesse seu primeiro álbum, “The First Concept Project”, Lira não se afastou do Heavy Metal e seguiu por esse caminho, ainda mais porque entre os músicos que convocou para essa empreitada, ele contou com alguns nomes consagrados no gênero aqui no Brasil, como os baixistas Andria Busic (Busic, ex-Dr. Sin), que participou em “Sunrise”, e Felipe Andreoli (Angra) em “Catharsis”. A abertura com “The Edge Part 1 – Introitus” surpreende por não investir na guitarra e sim no teclado e nas orquestrações, tendo Samuel Costa no comando.

Mas claro que essa é só uma introdução para o Heavy veloz e pesado que vem a seguir em “The Edge Part 2 – A Path To Enlightenment”, onde Lira começa mostrando seu senso melódico nos solos e muita sofisticação nos arranjos. É possível sentir influência de Joe Satriani em EDUARDO LIRA na música “Enjoyment”, que tem aquele ar emocional que “Satch” coloca em algumas de suas composições, e também na próxima, a misteriosa “Requiem For A Dream”. Essa e a bela “Imaginarium” são as que eu considero as mais legais do álbum, não por questões técnicas, mas por serem as que o sentimento musical de Lira está mais evidente.

Não espere por inovação em “The First Concept Project”, mas sim por músicas bem feitas e bom gosto nos arranjos de guitarra.