Contato Anuncie Loja Baixar Distribuidoras Selos Artistas Clipping Assessoria de Imprensa Quem Somos Serviços Agência Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com
Resenha: segundo álbum do Amenize é destacado no blog brasileiro Road To Metal

Resenha de CD originalmente publicada pelo blog Road to Metal

Por Gabriel Arruda

Eis que os percalços de bandas mais modernas vêm emergindo aqui no Brasil. Se isso é ruim ou gera certo radicalismo? Não, muito pelo contrário! Nesse período, onde enxergamos total melhoria no Metal brasileiro, bandas que dispõem um dialeto mais vigente são muito bem vindas e necessárias, principalmente ao público mancebo, que costuma ficar ligado a coisas mais frescas e contemporâneas. Como uma grata promissão, o AMENIZE faz parte dessa realidade com “Black Sky” (2015).

Composto por 8 faixas, “Black Sky” expandi sessões invasivas e cheio de bom peso, concentrado por riffs arrojados e com certos traços modilhados, presidido de fibras vocais variantes, esbulhando contornos mais agressivos e melódicos. A parte rítmica é outro grande detalhe a deparar, mantendo-se sólida e intacta, tais características sintetizadas de grandes nomes do Metal Moderno como Lamb Of God, Stone Sour, Killswith Engage e entre outros, mas sabendo ser diferente e original.

A produção do Adair Daufembach, abonando também a mixagem e a masterização, não esconde a união entre peso e melodia numa sonoridade pura e limpa, sendo que o próprio é bastante familiarizado com bandas que seguem esse tipo de som. A arte, feita pelas mãos do João Duarte, é sombria, acertando mais uma vez na criatividade como artista. Somando, é um trabalho diferenciado, que não perde a emoção através das melodias, mas que hipnotiza com a brutalidade e peso.

Após a narrativa intro com “An Endless Dystopia”, “Unlocked” inicia de forma bem limpa, mas que depois se ascendo com o peso, havendo ótimas nuances de ritmo. Num andamento não tão rápido, “Rivals” é apanhado de pegajosos riffs, resguardado de belas melodias vocais. “Leeches” prossegue de maneira mais cadenciada, com o baixo e bateria altamente carregados, assim como a moderna e abradante “Black Sky”. As partes mais avantajadas ficam por conta de “T-Rex” e “The Cream”.

Mantendo essa ousadia em “Black Sky”, com certeza o nome do AMENIZE será muito comentado, agradando qualquer ouvinte de Heavy Metal e suas vertentes.