Contato Anuncie Loja Baixar Distribuidoras Selos Artistas Clipping Assessoria de Imprensa Quem Somos Serviços Agência Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com
Resenha: segundo álbum do Warcursed em destaque no portal brasileiro Whiplash

Resenha de CD originalmente publicada pelo portal Whiplash

Por Thalles Magno

Nota: 09.0/10.0

O brilhantismo na carreira do WARCURSED é algo bem natural, desde seu debut “Escape from Nightmare” em 2012, foi evidente que eles tinham um diferencial. Agora com a disparada do “The Last March” em 2014, a banda promove um álbum melhor produzido e com uma técnica descomunal, mesclando o Death Metal com o Thrash Metal de maneira esplêndida. Dessa forma, tornaram-se uma das melhores bandas da região nordeste, dividindo palco com bandas como Nervochaos, Sepultura, Ratos de Porão, Terraprima, entre outras.

Iniciaram como uma banda cover do Megadeth e surgindo a vontade de criar músicas próprias e se tornar uma banda autoral, que na época chamava-se Post Mortem, eles buscaram sua própria identidade. Nas letras é levada uma temática focada nos problemas sociais, envolvendo guerra, religião, insanidade e problemas existenciais.

”The Last March” inicia com com um instrumental ímpar, riffs super bem executados e criativos, além de um vocal poderoso e agressivo, a exemplo disso fica a sua primeira música ”Superior Tyranny” esbanjando qualidade. Segue-se então para a faixa homônima ”The Last March” que brinda o ouvinte com momentos de pura agressividade, mas sem deixar de lado a técnica. Em ”K.I.Y.” e ”Renegades From Hell” o refrão e a sonoridade chega a lembrar o som do Arch Enemy mas de forma mais brutal, fato ressaltado pela grande qualidade dos músicos que fazem uso das cordas.

Em ”Deathmachine” e ”Symptoms Of Decay” o instrumental vai a loucura, possui muitos riffs cadenciados e há uma bateria e baixo bem marcado a todo momento. O álbum finaliza com as faixas ”Temple Of Destruction” e ”Legacy Of Violence” determinando que o WARCURSED está preparado para fazer mais turnês pelo exterior e destruir tudo em suas apresentações, já que eles não passam vergonha comparados com qualquer banda gringa.