Contato Anuncie Loja Baixar Distribuidoras Selos Artistas Clipping Assessoria de Imprensa Quem Somos Serviços Agência Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com
Resenha: trabalho de retorno da Drearylands é avaliado pelo portal brasileiro Whiplash

Resenha de CD originalmente publicada pelo portal Whiplash

Por Fabio Pitombeira

Nota: 09.0/10.0

Recebi tem bem pouco tempo este EP da banda baiana DREARYLANDS, e o que encontramos neste trabalho é um Heavy Metal pesado, melodioso e com letras extremamente bem redigidas. Aos que não conheciam estes caras, assim como eu, eles já tem uma discografia que conta com dois álbuns e um outro EP, todos eles lançados nos anos 2000. Após um hiato de mais de dez anos, que mais parecia o encerramento definitivo das suas atividades, eis que a MS Metal Records a recoloca no mercado para a alegria da sua base fiel de fãs.

Sim, mesmo com todo este tempo longe do cenário, é incrível como a DREARYLANDS conseguiu manter uma base de fãs nestes anos todos, principalmente no seu estado natal, Bahia. Então, este disco soa como uma espécie de reencontro, principalmente porque nele constam quatro faixas inéditas desta nova fase, e outras três regravações de antigas canções, que marcaram sua trajetória. O que mais chama a atenção aqui é que tudo soa uniforme, e para um ouvinte mais desavisado, nem sequer perceberá que tal álbum possui composições com mais de uma década de idade mescladas com outras mais recentes, enaltecendo a competência dos seus músicos e a fidelidade com o estilo abraçado.

O vocalista Leonardo Leão não se encaixa naquele padrão do Metal Melódico, muito pelo contrário, o cara está mais para a escola alemã, tendo como referência Chris Boltendahl (Grave Digger) e até um pouco Martin Walkyier (ex-Skyclad). Além de se encaixar perfeitamente  às músicas, o cara ainda é responsável por letras envolventes e bastante profundas, o que merece ser conferido com o encarte em mãos. Os guitarristas Paris Menescal e Rafael Syade são bastante entrosados, e responsáveis pelo grande apelo melódico na sonoridade da DREARYLANDS, bastando uma breve audição em músicas como “Collateral Damage”, “Incerto Adeus” e “Learn To Fly”, para tal afirmativa ser facilmente constatada. Ganharam, e muito, o meu respeito!

A já citada gravadora dos caras nos prometeu o seu terceiro full lenght ainda para 2017, o que mais uma vez deve garantir mais um capítulo muito bem escrito na história do Heavy Metal do nordeste brasileiro. Vale a pena dar uma chance ao DREARYLANDS, e com o suporte que a banda vem tendo agora, não me surpreenderei de ouvir falar muito sobre o grupo daqui pra frente. Excelente, e vale o investimento!