Contato Anuncie Loja Baixar Distribuidoras Empresariamento
Artistas Clipping Assessoria de Imprensa Quem Somos Serviços Agência Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com Gravadora
Resenha: Roadie Crew Magazine enaltece o trabalho da banda Wild Child

Resenha de CD originalmente publicada pela Roadie Crew Magazine

Por Ivanei Salgado

Nota: 09.0/10.0

É deveras gratificante comprovar o poderio musical da cena nacional. Neste segundo algum do quarteto curitibano WILD CHILD, encontramos uma versatilidade musical estupenda. Podemos dizer que é Hard Rock com algumas inclinações ao Prog Metal. Portanto, algo de Whitesnake e Dream Theater são percebidos, porém, devido à temática conceitual baseada nos Sete Pecados Capitais, daí o título “Seven”, a sonoridade é soturna e, em muitos momentos, introspectiva.

E o estilo vocal de Erik Fillies, que nos traz algumas recordações positivas de Chris Cornell (Soundgarden) e Dan Swanö (Nightingale), contribui muito para acrescentar esse diferencial à musicalidade do grupo. Para ser bem direto, os caras conseguiram sair do lugar comum e criaram uma atmosfera densa e pesada sem abrir mão da energia que o estilo exige, como pode ser percebido em “Find Your Way” e “Myself In Pieces”. Essa faixa, assim como os três movimentos de “Church Bells” e a suave “Don’t Turn Off The Lights”, comprovam a competência do quarteto em navegar nas ondas de estilos, aparentemente, tão distintos como o Hard e o Prog. Ainda nesse contexto de versatilidade musical do álbum, a abertura com “Never Let Yourself Down”, com variações vocais que conferirem um status de agressividade à composição, foi muito “feliz”, pois introduz o ouvinte às outras obras não apenas no sentido ordinal, mas de preparação para audição por dar o tom do disco.

São sete faixas e cada uma baseada em um pecado capital: preguiça, ganância, gula, inveja, ira, luxúria, orgulho. Um filézão made in brazil!