Contato Anuncie Loja Baixar Distribuidoras Empresariamento
Artistas Clipping Assessoria de Imprensa Quem Somos Serviços Agência Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com Gravadora
Resenha: trabalho do Malefactor em destaque no blog brasileiro Hell Divine Magazine

Resenha de CD originalmente publicada pela Hell Divine Magazine

Por Pedro Humangous

Nota: 09.0/10.0

Um digipack luxuoso embala o mais recente trabalho de inéditas dos baianos do MALEFACTOR. Já acompanho a carreira deles desde o álbum “Barbarian”, de 2003. Mas foi em 2006 com o “Centurian” que me conquistaram de vez através de seu Metal repleto influências e infusão de estilos.

Nessa época a banda estava no seu ápice, ganhando cada vez mais notoriedade no cenário nacional. Porém, o grupo deu uma sumida e somente agora em 2013 retornam com um novo disco, “Anvil Of Crom”. A maravilhosa arte da capa, feita por Marcelo Almeida, já encanta logo de cara, trazendo ansiedade pelo som que virá ao colocar o CD pra rodar. Pra quem já está familiarizado com a sonoridade do MALEFACTOR, irá abrir o sorriso logo nos primeiros segundos de música, pois todos os elementos característicos estão aqui, intactos.

Pra quem estava hibernando nesses últimos dez anos e não conhece a banda, eles praticam um pouco de tudo em sua música, indo desde o Metal Tradicional, passando pelo Extremo e passeando pelo Doom, com uma pegada meio Black/Gothic. Em uma mesma música você pode experimentar todos os estilos, executados com maestria. As faixas possuem um mix de melodia e melancolia, tornando o álbum bastante obscuro, denso, mas ao mesmo tempo de fácil assimilação.

Lord Vlad demonstra uma técnica vocal invejável, indo do gutural/rasgado ao cantando/limpo com muita facilidade. A dupla de guitarras, Danilo Coimbra e Jafet Amoêdo, estava realmente inspirada e criaram riffs memoráveis, sempre acompanhados pelo teclado inteligente de Chris Macchi. A cozinha, formada por Roberto Souza e Alexandre Deminco, também funciona muito bem, agregando mais peso e agressividade ao som. Falando no som, a qualidade de produção e gravação estão excelentes, tudo muito bem encaixado e audível, ajudando e muito nas transições entre os momentos mais limpos e calmos para os extremos e velozes.

As minhas favoritas são, sem dúvida, “Anvil Of Crom”, “666 Steps To Golgotha” (com participação de Felipe Eregion do Unearthly) e “A Guerra Virá” (que conta com os vocais insanos de Hecate do Miasthenia). Se já conhece o MALEFACTOR, pode ouvir que esse disco fará sua alegria! Se ainda não conhece, não perca mais tempo e adquira sua cópia, vale cada centavo!