Contato Anuncie Loja Baixar Distribuidoras Empresariamento
Artistas Clipping Assessoria de Imprensa Quem Somos Serviços Agência Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com Gravadora
Resenha: último álbum do Tropa de Shock continua crescendo no cenário brasileiro

Resenha de CD originalmente publicada pelo site Rock On Stage

Por Fernando Júnior

Nota: 10.0/10.0

Na ativa desde o final dos anos 80, quando o vocalista Don e o baterista Márcio Minetto se conheceram e decidiram montar uma banda de Rock, o TROPA DE SHOCK é uma banda paulistana de Hard Rock e Heavy Metal, que começou cantando em português, porém, desde o seu segundo CD, eles perceberam que seriam mais conhecidos mundialmente se cantasse em inglês. E com várias formações através de seus mais de 25 anos de atividades, o TROPA DE SHOCK registrou sete álbuns de estúdio (contando este) e mais dois EPs, que os consolidaram entre as mais importantes bandas brasileiras do estilo.

Lógico, que essa aceitação de seu trabalho rendeu ao TROPA DE SHOCK shows ao lado de importantes nomes como Paul Di’anno, Greg Bissonette (ex-Yngwie Malmsteen e David Lee Roth), Primal Fear, DC Cooper, Pink Cream 69, Skywalker e festivais como o Rock para a Vida (com público de mais de 20 mil pessoas). Intitulado como “Inside The Madness” e lançado pela MS Metal Records, o sétimo álbum de estúdio do TROPA DE SHOCK foi gravado, mixado e masterizado na Lion Productions, com capa e encartes assinados por Fernando Dias com direção de arte de Don e Márcio Minetto, sendo que o line up responsável foi o seguinte Don nos vocais, Augusto Abade e Lucas Pelarin nas guitarras, Lucas Hammer no baixo e Márcio Minetto na bateria.

Aberto com “Insanity Nightmares”, onde ouvimos sua sombria introdução dotada de narrativas, vozes desconexas e gritos de uma multidão apavorada para que então o Heavy Metal Tradicional do TROPA DE SHOCK floresça em “I Broke My Mirrors”, cuja combinação de riffs rápidos com momentos melodiosos cativem com facilidade junto às vocalizações encorpadas de Don, que sabiamente despeja fortes e empolgantes agudos. Após alguns passos e com sirenes de ataque aéreo sendo tocadas, a cadenciada “Revelations Of A Soldier” continua “Inside The Madness” com a potência necessária e vai te pegar justamente no seu refrão, que certamente os fãs do Judas Priest apreciarão mais este som na sua levada de guitarras e no formato de seus vocais, que trazem uma letra muito interessante, confira em seu encarte.

Em “Call My Name” recebemos um Heavy Metal versado nas correntes melodiosas setentistas, onde as guitarras de Augusto Abade e Lucas Pelarin guiam os caminhos que a música vai percorrer em seus solos com muita habilidade e linhas inspiradas no Iron Maiden liberando Don para vocalizar com muito carisma cada trecho. Para a quinta canção, a “Waiting For Another Way”, os solos de guitarras já ficam em evidência logo de cara e trazem as contundentes vocalizações de Don, que novamente demonstra um estilo de cantar que lembra o mestre Rob Halford, e este competente som, está sempre amparado pelo toques animados do baixista Lucas Hammer e do baterista Márcio Minetto, que seguram o ritmo o tempo todo. Ahh… olho na sua letra e na efervescência que os solos de guitarras passam momentos antes do fascinante refrão ser repetido pela última vez.

Os dedilhados mais calmos de “All My Reasons” trazem uma emocionante balada Heavy, que é vocalizada com muita destreza por Don, nos impactando com o crescente aplicado por ele e os demais no decorrer de seus minutos, que conduzem à um final épico. Na faixa título do disco, a “Inside The Madness”, o Heavy Metal Tradicional do TROPA DE SHOCK está de volta ao exibir riffs acelerados e uma marcante sucessão de toques do baterista Márcio Minetto para que Don cante passando toda a adrenalina desta canção, que sofre uma modificação, se torna mais introspectiva e faz os solos de guitarra ecoarem para retomarem o ritmo inicial desta baita sonzeira.

Sem parar, “Afraid To Hell” mantém o Heavy Metal em alta e nossos ouvidos atentos ao som ‘Priestiano’ do quinteto, onde os vocais e os solos de guitarras estão cheio de eletricidade a cada nota te convidando a ‘bangear’ em sua audição. Em “Silent´s Dark”, que é a seguinte, o TROPA DE SHOCK não se acanha e desfere outra arrebatadora canção, seja na sua velocidade dos solos gêmeos de guitarras, nos seus vocais em coro, sua presença marcante no baixo, sua bateria acelerada. Ufa!!! todos estes fatores combinados como estão traçam um quase flerte com o Power Metal no estilo do Helloween (ouça “Eagle Fly Free” e me fale). Enfim, é ouvir e sentir-se realizado.

Apresentando um poderio de fogo enorme, “Beyond The Sea” marca a décima composição de “Inside The Madness” e suas vocalizações atravessam linhas em coro e denotam a versatilidade de Don ao cantar seus versos em um ritmo que culmina em mais uma sessão de solos da entrosada dupla do TROPA DE SHOCK, além de muito peso nas envolventes viradas na bateria de Márcio Minetto. “Slaved Anywhere” mostra um andamento fortificado cravado na força da bateria somada com as guitarras, que sofrem algumas variações até que no momento em que os vocais apareçam e sua veia Heavy Metal fique mais clara. Só para não perder o costume deste álbum… estamos diante de mais uma excelente composição onde o quinteto deixa os seus solos de guitarra fluírem livremente e também os vocais de Don buscar as notas mais aguadas e agressivas. Se gosta de linhas ‘a la’ Judas Priest com pitadas de Power Metal… pode saborear esta crítica à sociedade que vive conectada.

Findado o track list normal do CD, temos dois bônus, sendo o primeiro para o cover do cantor italiano Gazebo para “I Like Chopin”, uma canção mais Pop onde a bateria de Márcio Minetto chama bastante a atenção, assim como os vocais e os solos de guitarras, que trazem uma aura mais cadenciada, que no final destacam os solos do guitarrista Sérgio Murilo (que esteve na primeira formação da banda).

Terminando “Inside The Madness” temos a canção de 2013, “Freedom Again”, que passa em seus poucos mais de quatro minutos, a vitalidade de seu acelerado Heavy/Power Metal, que te inspira a cantar com a banda e sentir a beleza de sua parte instrumental, como por exemplo nos exuberantes riffs de guitarras sempre capitaneados por Augusto Abade e Lucas Pelarin.

Acredito seguramente que “Inside The Madness” seja um dos melhores álbuns já lançados na longa carreira do TROPA DE SHOCK. Se aprecia a qualidade e o nível do Heavy Metal brasileiro atual, deve se ligar neste disco, ainda mais se curtir nomes como Judas Priest e Iron Maiden. No começo de 2016, o vocalista Don sofreu um ataque do coração e a banda abriu um hiato até que ele se reestabeleça. Além de dedicar esta resenha ao vocalista, espero que ele retorne às suas atividades e possa – junto aos demais membros do TROPA DE SHOCK – nos mostrar nos palcos todo o caloroso potencial deste álbum ao vivo.